Câmara realiza audiência sobre fortalecimento das escolas na zona rural - Câmara Municipal de Lagoa Seca

Notícias da Câmara Municipal de Lagoa Seca

17/12/2018 às 10h19 - Atualizada em 22/12/2018 às 10h21

Câmara realiza audiência sobre fortalecimento das escolas na zona rural

FONTE: ASCOM

Um assunto bastante polêmico está dando o que falar. Tanto é, que a Câmara de Vereadores de Lagoa Seca realizou uma audiência pública para debater o fortalecimento das escolas da zona rural e a possibilidade das classes multisseriadas.

A pauta surgiu depois que boatos se espalharam afirmando que as algumas escolas do município seriam fechadas em decorrência de poucos alunos, e que outras instituições migrariam os estudantes para núcleos do município na área urbana da cidade.

O assunto gerou repercussão e foi parar nas mãos do Promotor Público, Alcides Leite de Amorim, responsável pelo processo, na jurisdição em Campina Grande.

Em decorrência disso, na manhã desta quarta-feira (12), a Câmara Legislativa, através dos vereadores, ouviu a Secretaria de Educação e algumas indagações de pais e professores que compõem a rede pública de ensino.

O QUE DIZEM AS PARTES:

Segundo o Ministério Público, “deve haver a extinção da multisérie das salas, para que cada criança tenha o direito de vivenciar e aprender com cada série respectiva”, afirmou.

Em nome da gestão do prefeito Fábio Ramalho, o secretário de educação, José Walter, elucidou que as escolas citadas nos boatos não seriam extintas. “Nós afirmamos e reiteramos que nenhuma escola do município será fechada. Muito menos queremos que haja as séries multisseriadas. Todavia, a população tem que entender que temos algumas escolas com pouquíssimos alunos, o que nos faz pensar, não decretar ainda, a transferência para outros núcleos educandários”, afirmou o secretário de educação José Walter.

A pasta ainda cita que continuará preservando das escolas da zona rural, bem como incentivando os valores educacionais.

O processo estará em trâmite até o início do ano que vem, havendo uma reposta do Ministério Público nos próximos meses.

ESTA MATÉRIA FOI VISTA 265 VEZES